Histórico Voltar para Lista
.

As evidencias da presença das Tartarugas Dragão no continente remontam o segundo ciclo, quando magos tão poderosos como nenhum visto hoje usavam seus poderes desafiando os deuses, modificando a natureza e a vida como achassem conveniente. Foi desta maneira que as tartarugas dragão foram criadas. Contam estas próprias criaturas, com sabedoria e ponderação, que desde o início os magos desejavam demostrar seus poderes de criação como se fossem deuses. Como resultado de magias alquímicas, um animal marinho extinto em forma de serpente foi mesclado a uma tartaruga carnívora que habitava o território que hoje são as geleiras. Para completar a criação, foi atribuída a primeira destas criaturas o espírito de um dragão ancião subjugado por um feiticeiro maligno. Desta maneira consciência foi criada, embora a magia imperfeita tenha reduzido muito o intelecto da criatura. Hoje as Tartarugas Dragão são répteis carnívoros inteligentes que habitam grande parte dos mares de Tagmar, e são vistos as vezes nos litorais rochosos.

À distância, a Tartaruga Dragão parece uma tartaruga comum, muito grande, mas de perto as suas diferenças são imediatamente notadas: sua cabeça possui escamas na parte superior que formam três linhas salientes paralelas ao pescoço, rijas; possui dentes muito afiados; seu casco tem pequenos espinhos; e possui uma grande cauda que se arrasta de um lado para o outro no solo enquanto o réptil se movimenta.

A cor do casco da tartaruga varia normalmente do azul escuro ao cinza claro. A exceção da cauda, todos os membros da criatura podem ser recolhidos para dentro desta carapaça, mas este recurso é utilizado apenas como forma de defesa quando ela estiver muito enfraquecida. Esse movimento é considerado uma manobra de combate do tipo esquiva.

Elas são criaturas inteligentes, capazes de planejar uma estratégia de defesa simples, evitar inimigos bem armados e se comunicar através de um idioma próprio, classificado pelos estudiosos de Saravossa como um dialeto primitivo do idioma dos Dragões.

As Tartarugas Dragão formam grupos de milhares e realizam uma grande migração periodicamente por quase toda a costa de Tagmar. Acredita-se que seu ponto de partida seja sempre no início do Inverno nas Geleiras, onde há boatos pouco precisos de que esses seres prestam homenagens a alguma divindade, e seu ponto final é a Ilha, no centro do Lago Denégrio e já no inverno seguinte, onde, especula-se, são onde essas criaturas põem seus ovos. O caminho de volta só começa no verão seguinte, e dura mais um ano.

Os pontos críticos de sua jornada são na entrada e na saída do Rio Frefo, onde os caçadores armam emboscadas e, as custas de muitas embarcações e algumas vidas, sempre capturam algumas Tartarugas. Os espécimes vivos podem chegar a valer 30 moedas de ouro com a pessoa certa, geralmente um mago ou um especialista em confeccionar armaduras e escudos com o casco da Tartaruga Dragão. Em cativeiro elas não põem ovos.

Os escudos feitos do casco da Tartaruga são uma ostentação de riqueza e poder. São leves, grandes e bastante resistentes (Escudo Grande +1 Defesa/ +3 Absorção). São muitas vezes utilizadas por nobres em solenidades importantes. As armaduras reforçadas com seu casco, além de muito bonitas, também podem ser muito poderosas. Dependendo da habilidade do armeiro, elas podem receber um bônus na absorção de +2, para armaduras leves, até +6 para as pesadas.

As tartarugas nunca param de crescer, e sua vida se prolonga enquanto puderem suportar o próprio peso em terra. Há relatos de alguns piratas que dizem já ter sido atacados por monstros de 15 ou 20 metros. Estas aparições, entretanto, são raríssimas. O Tamanho médio desses seres não passa de 5 metros de comprimento e 3,5 de altura.

Eventualmente são encontradas sozinhas. Estas geralmente estão feridas ou são muito agressivas, e por isso abandonam o grupo. Uma Tartaruga Dragão é orgulhosa demais para negociar por sua vida, e normalmente luta até a morte.

Em combate a tartaruga sempre inicia espirrando seu hálito ácido 100% na EF, que é uma pasta pegajosa que corrói metais muito rapidamente, e atinge uma área à sua frente de 7,5 metros de largura por 5 metros de comprimento. Qualquer armadura metálica atingida por este ácido perde permanentemente 6 pontos de absorção máxima, e escudos são inutilizados. Ela é capaz de repetir o ataque a cada 2 minutos (8 rodadas).

Dentro d’água o hálito funciona de forma diferente. Como é pouco solúvel ele se espalhará por um volume de 30mx30mx30m a partir da própria criatura. A Tartaruga é imune ao próprio ataque e é capaz de enxergar claramente, enquanto todos os outros terão a visão obstruída e limitada a 2,5 metros de distância, durante 2 minutos (8 rodadas). A cada turno que o personagem permaneça em contato com o ácido na água, sofrerá 2 pontos de dano em sua EF, e sua armadura metálica perderá 2 pontos em absorção permanentemente.

A mordida é o seu principal ataque. Sua mandíbula poderosa e seu pescoço que pode se esticar um pouco normalmente são o suficiente para atingir combatentes distraídos.

Sua cauda também é utilizada em combate, e é o único modo que a criatura possui de atingir aqueles que estão na sua retaguarda. Sempre que atingido pela cauda da Tartaruga Dragão em 100% ou qualquer dano na EF, a vítima será empurrada a 3 metros de distância.

Dentro da água o método de combate da Tartaruga é diferente. Ela se torna mais tática para lutar e mais corajosa. Nessa situação ela é capaz de utilizar um ataque de carga, normalmente precedido de seu hálito ácido (para encobrir a visão da vítima).

A carga é realizada com a cabeça para dentro do casco, e é capaz de abrir um rombo na carcaça de embarcações com até 4 vezes o tamanho da Tartaruga Dragão.

Esses seres sempre sabem quando sua morte natural se aproxima. Nesse momento, a Tartaruga se dirige para o local conhecido em Porto Livre como “O Coral dos Cascos”, e repousa no fundo do mar aguardando a morte por afogamento. O cemitério formou através dos séculos um grande complexo de túneis entre os cascos ocos das tartarugas mortas, interligados por recifes de coral de diversos tipos.

Apesar de carnívoras, as Tartarugas Dragão são capazes de engolir quase tudo, inclusive alguns metais pequenos. O único tesouro que essas criaturas possuem, portanto, são coletados por acaso e carregados com a criatura até a hora de sua morte, no interior de seus corpos.

Tipo de Criatura

Criaturas Místicas

Ambientação

Reinos / Terras Selvagens

Organização e Habitat

Solitário ou Grupo Grande / Mares, Litoral e o Lago Denégrio

Habilidades / Técnicas de Combate

Seguir Trilhas(10) / Ataque Oportuno(10), Carga(16)

Magias e Poderes Especiais

Visão no escuro (3)

Peso/Altura/Comprimento

7500 Kg / 2 m / 3,5 a 5 m

Atributos

INT(-1), AUR(1), CAR(-1), FOR(5), FIS(8), AGI(-3), PER(2)


NomeEstEFEHDefesaAtaqueLMP100%75%50%25%RFRMMoralVB
Tartaruga Dragão 8181(197)144P-3Cabeçada9622117139169106 (25 nadando)
Cauda78525201510
Hálito Ácido8882922158
Mordida98729231711