Discutir Histórico Ver Ultima Mudança Editar Pesquisar
Geografia das Ilhas Independentes

Geografia

As Ilhas Independentes são um conjunto de arquipélagos no qual a influência se estende por quase seis mil quilômetros no sentido Leste Oeste e mais da metade disso no sentido Norte Sul. Elas ocupam uma região muito ao norte do continente de Tagmar navegando através do Oceano Ímpio.
Neste vasto conjunto de terras e mares é possível encontrar uma grande variedade de ambientes e criaturas que você descobrirá nas páginas que se seguirão.



Visão Geral

A região das Ilhas Independentes apresenta grandes diferenças físicas devido a sua extensão. Os experientes navegadores das ilhas dividiram o continente em faixas latitudinais e longitudinais. As faixas latitudinais classificam a região entre Meridional, Central e Setentrional. As faixas longitudinais classificam a região em Extremo Ocidente, Ocidente Próximo, Marco Civilizatório (ou apenas O Marco), e Extremo Oriente.
As primeiras fronteiras exploradas por navegadores vindos do sul são a Muralha de Nuvens, em todo o ocidente até o Marco Civilizatório, e a Garganta de Ganis, em algum lugar entre o Marco e o Extremo Oriente. Estas fronteiras dificultam, até quase impedir, o tráfego de embarcações vindos do continente.
O Oceano dos Éons é alcançado após qualquer um destes obstáculos. Ele abrange praticamente toda a região meridional da área das Ilhas Independentes. O clima nesta região tende a ser muito quente, com frequentes tempestades capazes de afundar as mais poderosas embarcações.
Os arquipélagos mais notáveis das região meridional são o Arquipélago do Dragão, no extremo oriente, as Ilhas do Sul, no ocidente próximo, e a Ilha de Arcádia, a maior ilha do Extremo Ocidente e que possui uma série de ilhas satélites. A rota existente entre o continente de Tagmar e a região das Ilhas Independentes passa pela cidade flutuante de Bornáutila, na região das Ilhas do Sul.
O navegador irá se deparar com a região central a medida que ruma para o norte. Ela é a mais povoada das Ilhas Independentes, e a que possui o maior número de civilizações de leste a oeste. A maior ilha dentre todas, Agéia, é localizada nesta região e é “humildemente” chamada de O Centro pelos povos nativos, que não conhecem uma extensão de terra maior. Seu egocentrismo também os fez nomear sua região longitudinal de Marco Civilizatório.
O clima costuma ser quente e ventoso em grande parte da região, especialmente nas mais ao sul. Grande Furacões se formam ocasionalmente no oceano e acabam varrendo algumas ilhas, tornando a viagem pelos mares um desafio que os aventureiros de Tagmar não estão acostumados, mas que são parte da vida dos intrépidos habitantes das Ilhas Independentes.
Outras porções notáveis na região central são as Ilhas Ermas, um conjunto de ilhas no extremo ocidente e distantes centenas de quilômetros uma das outras que, com uma única exceção, não chegam a formar arquipélagos; as Ilhas Menores do Ocidente, que são vários arquipélagos de pequenas ilhas que abrigam sociedades muito específicas; e o lar dos povos ultramarinos, uma região inespecífica dos mares do extremo oriente que abrigam civilizações submersas.
A região setentrional localiza-se no norte e se caracteriza pelo frio intenso e pela presença de Icebergs que provocam o naufrágio de embarcações inúmeras que tem a infelicidade de se chocarem com eles em alto mar. Além disso, o mar é muito frio para a sobrevivência da maior parte das grandes civilizações marinhas que habitam estas regiões. As Terras Glaciais são o limite físico das Ilhas Independentes e são território desconhecido em sua maior parte, embora pequenas vilarejos sejam encontrados nas regiões mais ao sul.
Entre a região central e as Terras Glaciais são encontradas as Ilhas Esquecidas, um grande arquipélago na longitude do Marco que compõe o que restou de uma área muito devastada no Cataclismo. Nesta região há sete ilhas governadas cada uma por uma das Rainhas Arcanas. O extremo oriente setentrional é marcado pela presença do Losango Astral, uma área de névoas misteriosas e ilhas que nunca parecem estar no mesmo lugar. Dezenas de pequenas ilhas podem ser encontradas não muito distante da costa das Terras Glaciais desde o ocidente próximo até o extremo ocidente, mas poucas delas são habitadas.

O Exremo Ocidente

O Exremo Ocidente é a faixa longitudinal mais à oeste do mundo explorado. Nesta região pouco conhecida há bem menos ilhas do que no restante da região das Ilhas Independentes e são encontradas criaturas estranhas e tesouros antigos.
A viagem de Agéia ao Exremo Ocidente leva pelo menos 1 mês, se os ventos forem bons. O trajeto pela região central é mais seguro porque existem mais ilhas para ancorar e porque o clima é mais ameno. Viajar pela Ilhas do Sul pode parecer uma boa ideia para os desavisados, mas na verdade elas são ou desertas, ou habitadas por criaturas hostis. Além disso, o clima de mudança rápida da região meridional torna a viagem mais perigosa. Os furacões, mais comuns ao sul da região central/norte da região meridional, também são um risco que deve ser assumido.
A rota mais segura para o Exremo Ocidente é o chamado de Caminho do Cisne de Gelo. O nome, batizado em razão da migração da ave homônima, começa no Canal de Agéia e segue em sentido Oeste-Noroeste, ancorando em várias ilhas no meio do caminho para reabastecer. A ave que batiza a rota ainda segue sua migração para local desconhecido, embora retorne todos os anos.
A Muralha de Nuvens cobre toda a fronteira Oeste e Sul do Extremo Ocidente, com exceção do extremo norte. No entanto, a Muralha do Oeste é diferente da Sul, pois possui sob ela uma corrente marinha imprevisível e com muitos redemoinhos. Não se sabe o que provoca esta condição, mas nenhum desbravador que tentou explorá-la retornou para contar a história.

Região Setentrional

O quadrante setentrional desta faixa de longitude não apresenta muitos marcos notáveis. Como toda a região setentrional ela é fria. No entanto, diferente do restante da região, não há sequer uma ilha cartografada em todo o quadrante.
Alguns exploradores alegam terem visitado ilhas de gelo habitadas por criaturas estranhas. Estas ilhas nunca foram cartografadas e é possível que não passem de mentiras. Porém, os invernos extremamente frios deste oceano oferecem a chance para Icebergs tão grandes quanto cidades flutuarem bastante para o sul…
Apesar de improváveis, uma lenda em particular que diz respeito a estas ilhas de gelo flutuantes é bastante disseminada. A de que uma cidade de criaturas de gelo e frio, sempre acompanhada de uma tempestade de granizo, navega pelo quadrante. Ela seria amigável e exploradores que conseguissem suportar o frio extremo que ela supostamente possui (dezenas de graus centígrados abaixo de zero) poderiam conhecer e usufruir dos bens únicos que são utilizados por seus habitantes.
O extremo norte deste quadrante é impossível de ser navegado, pois a aparição repentina de Icebergs naufraga qualquer embarcação existente. As rajadas de vento congelante cortam qualquer criatura alada e os mares são frios demais para qualquer criatura marinha inteligente.

Região Central

O quadrante central desta faixa de latitude é pouco explorado porque possui ilhas muito distantes entre si, chamadas de Ilhas Ermas. O Caminho do Cisne de Gelo mencionado acima termina no Arquipélago da Caveira, o mais ocidental conhecido em toda a região das Ilhas Independentes.
Os Colossais habitam duas das maiores Ilhas da região: Volgar e Arim. A primeira fica localizada no meio do quadrante, distante cerca de 300 km da Ilha sombria de Vanar, 450 km do Arquipélago da Caveira e cerca de 600 km da Ilha de Volgar.
A Ilha Sombria de Vanar é a última parada antes do Arquipélago da Caveira, e é conhecida por suas árvores gigantes que formam os chamados “Dosséis de Noite Eterna”, pois a luz solar supostamente nunca atinge seu solo infértil. Ela não é totalmente cartografada porque os Colossais mantém rígido controle de quem entra na ilha, atirando em qualquer embarcação que eles consigam ver nas proximidades.
As outras ilhas possuem geografias distintas. Arim é bastante montanhosa e com lagos e cavernas abundantes. Volgar é mais florestal e com um único monte em seu centro, chamado de Mastro pelos Colossais Volgarianos. O Mastro é um vulcão ativo há séculos que nunca teve uma erupção muito poderosa.
O arquipélago da caveira é uma região misteriosa e perigosa. Exploradores dizem que o deus herói Ochoal habita o local e não permite invasores. A Ilha possui muitas florestas densas espalhadas por todo o arquipélago. Outro vulcão, chamado de Olho de Ochoal, se localiza ao norte do arquipélago.
O quadrante possui mais algumas pequenas ilhas cartografadas, todas muito distantes uma das outras. Como o clima na região é de quente, ao sul, para ameno, ao norte, todas elas podem servir de parada para exploradores, mas todas possuem o ambiente bastante selvagem, com florestas densas cobrindo quase todo o território. Nenhuma delas possui animais de grande porte, embora haja relatos de monstros estranhos.


Esta caixa possui o material anterior desta página e permanece aqui para consulta.
A região conhecida por Ilhas Independentes se divide em algumas regiões menores: Região Central, Região Setentrional ao norte, e Região Meridional ao sul.

Região Central

Composta por Agéia no centro, as Ilhas Menores ao leste, e as Ilhas Ermas ao Oeste.
Agéia - a grande ilha central desta ambientação, é dividida entre as cidades-estados Moltas; a Floresta de Artrum, principal lar dos magornos junto com a Ilha Gorne ao leste (esta ilha pequena é muito próxima a Agéia e existe um banco de areia ligando as duas que se revela na maré baixa); a Cordilheira Teldrum, lar da tribo de colossais de mesmo nome; no sudoeste da ilha há um território disputado entre a nação reptante República Silar e tribos selvagens de Yatujas. A sudoeste da ilha há algumas ilhas pequenas, algumas de silars e outras de yatujas.
No mar ao sul de Agéia, há a cidade submarina de Acquaria, e algumas vilas submarinas sob sua proteção.
Ilhas Menores - a ilha Santuário dos Pantos; as ilhas colônias dos Silars ao sul; as ilhas dos tessaros, perto do território panto; ilhas Ardor, Valom e outras dos humanos valons ao extremo leste; O arquipélogo de Elas, das elanas, com as ilhas Alana, Elana, Elisia, Luarnia, e Vulcania;as ilhas Ginete, Minuria, e das Brumas, dos pequeninos; e ilha Minas Eternas, a principal ilha dos gnomios.
No mar das ilhas menores há as cidades submarinas aquarianas de Arrecife e Búzios.
Ilhas Ermas - em meio a muitas ilhas selvagens, existem ilhas ocupadas por alguns povos: as ilhas chamadas Ilha Corte das Estações, Ilha da Corte Alta, Arquipélago da Corte dos Elementos (ilhas: Áqua, Ar, Fogo, Luz, Terra e Trevas), e Arquipélago da Corte das Emoções (ilhas da Felicidade, Melancolia, Medo, Amor, Raiva, e Repulsa), dos ornes; a ilha Sideira, principal ilha dos centaurinos; ilha de Lerom, lar dos nolusgos; as ilhas Arim e Volgar, ocupadas por etnias diferentes de colossais.

Região Setentrional

Composta pelas terras glaciais e as ilhas esquecidas.
Terras Glaciais - também chamada de terra de gelo eterno e suas ilhas mais próximas. É habitada pelos Dragões Imperiais do Gelo na área mais remota, é habitado também pelos povos humanos: vancos, no Altiplano de Gelo; e yarings, e na região costeira. Também é habitado pelos pequeninos Yogs na Planície de Calnuar, por gigantes e sasquates nas regiões montanhosas, e há uma colônia draconiana no litoral sudoeste.
Ilhas Esquecidas - faixa de ilhas entre as Terras Glaciais e Agéia, são o que restou de uma área muito devastada no Cataclismo. Nesta região há sete ilhas governadas cada uma por uma das Rainhas Arcanas. Nas ilhas mais ao nordeste há tentativas de colônias de humanos valons, e em algumas ilhas mais ao sul há tribos de humanos sulnos vivendo de forma primitiva, também há ilhas desertas ou ilhas habitadas por monstros ou raças selvagens.

Região Meridional

Região mais ao sul, composta pela grande e perigosa Ilha de Arcádia, o Arquipélago do Dragão, A Ilhas do Sul.
Ilha de Arcádia - maior ilha da região sul, lar de criaturas gigantescas, especialmente répteis, e contém uma colônia reptante.
Arquipélago do Dragão - ilhas e mares ocupados por draconianos (cidades submarinas ou costeiras dos coralianos, e terrestres ou costeiras dos terranianos); é um círculo de ilhas mais próximas a região central das ilhas da região meridional, e ao norte delas, já na região central, ficam as ilhas colônias dos silars.
A leste do arquipélago do Dragão, há a cidade submarina independente de Draqua, onde vivem aquarianos e coralianos.
Ilhas do Sul - entre as ilhas estão os territórios de sereias, tritões e aquarianos; há ilhas habitadas por piratas, e outras que são colônias recentes de humanos e outras raças, que funcionam de entreposto comercial com os aquarianos.
Nos mares das ilhas do sul há cidades aquarianas, sendo as principais Madrepérola e Corais-profundos.

Áreas Misteriosas

A Muralha das Nuvens
Losango Astral
Gargânta de Gânis - localizada ao sul das ilhas do sul, da região Meridional.
Aurora Cintilante - localizada nos mares do extremo norte, na região setentrional.
A Ilha Fantasma - não possui local fixo.
Caminhos das Luas - não tem local fixo.
O Duque - é um navio amaldiçoado, então pode ser encontrado a qualquer momento e lugar.
O Cemitério dos Mares - ?
A Torre Invertida - localizada em Agéia, na Floresta de Massai, no território dos Silars.
A Torre Branca - ?
As Terras Amaldiçoadas - a noroeste das Ilhas Menores, na região central.
O Templo - ?

Verbetes que fazem referência

Livro Ilhas Independentes
LGPD (Lei Geral de Proteção a Dados): o site do Tagmar usa a tecnologia de cookies para seu sistema interno de login e para gerar estatísticas de acesso. O Tagmar respeita a privacidade de cada um e nenhuma informação pessoal é armazenada nos cookies. Ao continuar a navegar pelo site você estará concordando com o uso de cookies.